trombose nas pernas

Quais são os sintomas de trombose nas pernas?

A trombose acontece quando um coágulo sanguíneo é formado em uma ou mais veias grandes das pernas e das coxas. Esse coágulo impede o fluxo do sangue, causando inchaço e dor na região.

Um dos maiores problemas da trombose é que o coágulo pode se desprender e se movimentar na corrente sanguínea, podendo chegar no pulmão, no cérebro, no coração ou em outras áreas e causar reações graves.

Esse processo de movimentação do coágulo na corrente sanguínea é chamado de embolia e pode até levar a pessoa a óbito. Por isso, hoje vamos falar um pouco sobre os sintomas da trombose nas pernas, além de suas causas, tipos e tratamentos.

Tipos e formas que a trombose se apresenta

Antes de falar dos sintomas, vamos entender melhor sobre os tipos de trombose e como ela se apresenta. A trombose pode ser classificada de duas formas: aguda e crônica. E pode se apresentar como trombose venosa profunda, trombose arterial e trombose hemorroidária.

Trombose aguda

Esse tipo de trombose geralmente é solucionado naturalmente. O próprio corpo utiliza de seus mecanismos para dissolver os coágulos que entopem as veias, sem deixar qualquer sequela e sem evoluir para casos mais graves.

Trombose crônica

A trombose crônica acontece quando, no processo que o corpo faz de dissolução do coágulo, ficam sequelas no interior das veias. Essas sequelas acabam afetando a estrutura das válvulas, prejudicando o retorno do sangue e levando ao aparecimento de inchaços, varizes, escurecimento e endurecimento da pele, além de feridas e outras complicações.

Trombose Venosa Profunda (TVP)

Quando falamos de trombose, falamos exatamente da trombose venosa profunda. Esse é o tipo mais comum de trombose e é quando há a formação de um coágulo sanguíneo em uma ou mais veias localizadas nos membros inferiores (como já falamos anteriormente).

Trombose Arterial

Esse tipo de trombose, como o nome sugere, é quando os coágulos se formam nas artérias. Quando isso acontece e há um bloqueio total no cérebro, por exemplo, acontece o que conhecemos como Acidente Vascular Cerebral (AVC) que, por sua vez, é quando o sangue não consegue chegar em determinada região do cérebro.

Trombose Hemorroidária

Hemorróida são as veias ao redor do ânus que inflamam ou dilatam. Quando há uma formação aguda de trombos na hemorroida é o que chamamos de Trombose Hemorroidária. Um nódulo com edema e de coloração arroxeada acaba se desenvolvendo na região, geralmente acompanhado de dor muito forte.

Sintomas da trombose nas pernas

A trombose pode ser totalmente assintomática, mas quando há sintomas, geralmente são apresentados como inchaço, aumento da temperatura e dor nas pernas, coloração vermelho-escuro ou arroxeada e endurecimento da pele.

A trombose também pode surgir após cirurgias. Se for uma cirurgia ortopédica, a probabilidade de desenvolver coágulos sanguíneos nas pernas é maior. O perigo nessa situação é o coágulo se soltar e ir parar no pulmão, causando uma embolia pulmonar.

A embolia pulmonar provoca uma súbita falta de ar e pode ser bem grave, podendo causar até mesmo a morte do paciente. Por isso, o atendimento deve ser imediato. Neste caso, os sintomas podem ser:

  • dor diferente da dor da cirurgia;
  • vermelhidão ao longo da perna (que aparece de repente);
  • inchaço na perna (que apareceu de repente ou inchaço que está piorando);
  • aumento da temperatura (calor) da perna que está doendo;
  • respiração curta e rápida e palpitações, podendo acontecer algum desmaio;
  • tosse com sangue; e
  • dor no peito ou nas costas (que não é comum).

Quais são as causas e os fatores de risco da trombose nas pernas?

A trombose possui várias causas e fatores de riscos. Grávidas, pessoas com obesidade, idade avançada e com imobilização prolongada estão mais suscetíveis à trombose. Quanto às causas, a maioria delas podem ser evitadas. As principais incluem:

  • uso de anticoncepcionais ou tratamento hormonal;
  • tabagismo;
  • hereditariedade;
  • presença de varizes;
  • pacientes com insuficiência cardíaca;
  • tumores malignos;
  • distúrbios de hipercoagulabilidade hereditários ou adquiridos;
  • história prévia de trombose venosa.

Como evitar os casos de trombose?

Além de procurar por ajuda médica, você pode evitar a trombose se adotar costumes na sua rotina como fazer exercícios físicos (pode ser pequenas caminhadas), controlar o peso e evitar o consumo de álcool e cigarro.

Quem trabalha ou passa muito tempo de pé ou sentado, deve andar um pouco para movimentar as pernas. Em viagens de avião, o recomendado é usar roupas mais largas e confortáveis, evitar ficar na mesma posição por mais de duas horas e beber bastante água.

Outro fator que ajuda muito é o uso da meia de compressão para trombose. Mas essa opção só deve ser realizada a partir de prescrição médica, pois vai ser o profissional que irá indicar a melhor meia para cada paciente.  

A trombose pode ser diagnosticada a partir de um exame clínico, onde o médico irá avaliar os sintomas do paciente. Para confirmar a suspeita, ele pode pedir alguns exames como ultrassonografia, exame de sangue, venografia, ultrassom vascular, tomografia e ressonância magnética.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *