Sensação de cansaço nas pernas

Como aliviar a sensação de cansaço nas pernas

A dor e a sensação de cansaço nas pernas são incômodos muito comuns em pessoas que passam o dia inteiro trabalhando sentadas ou em pé. Elas costumam aparecer no final do dia, depois de uma rotina cansativa de trabalho ou depois que já chegamos em casa.

Essa fadiga nos membros inferiores é cada vez mais frequente nas pessoas adultas do país. Estima-se que aproximadamente 70% dos brasileiros sofrem problemas semelhantes.

A causa das dores é, em boa parte dos casos, evitável: a má circulação sanguínea. Quando diagnosticado cedo, o tratamento também é bem simples e passa por algumas mudanças de hábitos.

Nosso trabalho aqui no Tudo para Varizes é dar dicas para que você cuide bem das suas pernas. Para isso, vamos explicar melhor como a má circulação causa essa sensação de cansaço nas pernas e algumas formas de resolver esse incômodo.

O que provoca a sensação de cansaço nas penas

Para que a circulação sanguínea funcione adequadamente, ela depende de diversas outras área. Tudo precisa estar funcionando bem para que ela aconteça da melhor forma possível.

No entanto, alguns hábitos comuns no nosso dia a dia podem atrapalhar o fluxo sanguíneo no corpo. Um desses hábitos, quase inevitável para algumas pessoas, é ficar o dia todo sentado na frente do computador.

Essa é uma condição muito comum para quem trabalha em escritório, mas também vale para seguranças ou vendedores, por exemplo, que precisam ficar muito tempo de pé, parados, sem se movimentar muito.

Problema no retorno sanguíneo

Essa condição, de poucos movimentos, afeta de maneira muito significativa a circulação sanguínea das pernas. Funciona assim: depois que o nosso sangue é bombeado para fora do coração, ele conta com a força da gravidade para chegar até à extremidade dos nossos membros inferiores.

Depois que ele desce, a força que o empurrou para baixo na ida, exerce uma resistência contrária na hora que ele tenta subir de volta. Para resolver esse problema, nosso corpo possui dois ótimos mecanismos, que vamos conhecer a seguir.

Válvula venosas

O primeiro mecanismo são as válvulas venosas, que atuam impedindo que o sangue retorne. A imagem abaixo é uma ilustração de como esse mecanismo funciona.

O tubo em azul representa a veia e os pontos vermelhos representam o fluxo venoso. No momento em que o fluxo é brevemente interrompido, a válvula se fecha e impede que o sangue retorne.

Além das válvulas venosas, há também outro importante instrumento que o nosso corpo utiliza nesse procedimento.

Bomba muscular da panturrilha

Como vimos, as válvulas venosas são importantes para que o sangue não retorne para as pernas. Mas há também o responsável por empurrá-lo para cima: a bomba muscular da panturrilha.

A nossa batata da perna funciona como uma bomba, jogando o sangue de volta em direção ao coração. Por essa importante função, ela é conhecida como o coração da perna.

Seu funcionamento é muito simples. Toda vez que nos movimentamos — seja em uma caminhada ou em uma corrida — movimentamos a musculatura da panturrilha. E esse movimento de contração e relaxamento, em sequência, comprime e relaxa as veias profundas das pernas, bombeando o sangue para cima.

O que acontece se esses mecanismos falharem?

Quando o corpo não funciona da forma adequada e esses dois mecanismos não são acionados como deveriam, há o acúmulo de sangue na parte inferior do corpo, o que provoca as dores e a sensação de cansaço nas pernas.

O quadro pode ser ainda mais grave e evoluir para doenças venosas sérias, com risco de morte. É o caso da trombose, por exemplo, que em último caso pode provocar uma embolia pulmonar.

Quando nos referimos especificamente às pessoas que precisam permanecer sem se movimentar por muitas horas, é justamente essa falta de movimento que causa os problemas e as dores nas pernas.

Sem caminhadas ou exercícios físicos, o bombeamento da panturrilha não funciona e a consequência inevitável é o aparecimento de problemas circulatórios.

E como resolver a sensação de cansaço nas pernas?

Quando o assunto é a nossa saúde, não há mágica. No caso das sensações de cansaço nas pernas, se elas são causadas por problemas circulatórios, é justamente nesse ponto que é preciso trabalhar para que as dores diminuam.

A solução mais simples é se mexer. Quem já tem aquela vontade de praticar exercícios físicos, está aqui um motivo a mais: se praticados com regularidade, eles certamente irão ajudar na redução de incômodos nos membros inferiores. Mas há outras opções.

Meias de compressão preventivas

Sabe aquelas meias compressivas que normalmente são usadas em pós-cirúrgicos e pra tratamentos de varizes? Pois é, também existem modelos que atuam na prevenção de doenças venosas e problemas circulatórios.

Elas são altamente recomendadas para pessoas que passam o dia todo ou parte do dia se movimentar muito as pernas.

A atuação da meia de compressão no corpo tenta, em certa medida, compensar a função da panturrilha quando não estamos em movimento. Como as meias de compressão são apertadas, elas pressionam a região dos tornozelos e das batatas da perna, empurrando o fluxo sanguíneo para cima, semelhante ao que fazem as panturrilhas.

Evite ficar tanto tempo parado

Nem todo mundo tem essa possibilidade, mas é possível aliar o trabalho sentado ou em pé a curtas caminhadas em alguns momentos do dia. O ideal é que o tempo de repouso não seja muito maior do que duas horas.

Portanto, se você trabalha parado na mesma posição, tente levantar de duas em duas horas e andar um pouco, nem que seja apenas por cinco minutos. Essa é uma medida simples, mas que pode fazer muita diferença no seu sistema circulatório e, consequentemente, reduzi o incômodo nas pernas.

Além disso, busque uma atividade física para praticar de duas a três vezes por semana. Praticar exercícios de forma regular faz bem para o funcionamento de todo o corpo.

Quando procurar o médico?

Essas são dicas para reduzir os incômodos nas pernas. No entanto, em alguns casos, essas medidas podem não surtir tanto efeito. Se os sintomas permanecerem intensos por mais de 3 meses, é importante procurar um angiologista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *